Óleo vira sabonete

Óleo vira sabonete

Alunas reciclam óleo de cozinha e produzem sabonetes para banheiros de escola em Muritiba (BA)

“Fazer projetos na escola nunca é uma perca de tempo”. Quem dá a dica é Gilvânia dos Santos, aluna do 2º ano do ensino médio do Colégio Estadual Manuel Benedito Mascarenhas, em Muritiba (BA). A jovem e suas duas colegas, Quênia Costa, do 3º ano do ensino médio e Ana Paula Santos, que se formou ano passado, ajudaram a diminuir um problema muito comum na escola: a falta de sabonetes nos banheiros. A partir de pesquisas, as alunas adaptaram o método tradicional de fazer sabão com óleo de cozinha usado e que pode servir para lavar louças e roupas. Juntas, fizeram uma receita de sabonete para as mãos que não agride a pele.

Segundo a integrante do grupo Quênia, o método é econômico: a unidade do sabonete custa 17 centavos e ajuda a escola a reduzir gastos. Para fazer uma receita segura, as alunas e a professora coordenadora do projeto, Lucineide Ramos, buscaram informações com pessoas da área. “Buscamos informações em livros, sites e com profissionais de química. Estudamos muito sobre pH* também”, explica Quênia. Já para conseguir o óleo de fritura, o grupo recebeu doações de padarias e colegas de diferentes turmas. Além disso, as estudantes participaram do bazar da escola para levantar recursos e comprar os demais produtos necessários para a produção.

Com o sucesso no colégio, as alunas inscreveram o projeto na Feira de Ciências e Matemática da Bahia (FECIBA), de 2015. Segundo elas, o incentivo dos demais estudantes também tem contribuído para o entusiamo do grupo, que pretende para dar continuidade à iniciativa. “Os outros alunos gostaram. É muito bom saber que o projeto pode ir para frente”, conta Gilvânia. E completa: “todas as pessoas que ficaram sabendo do nosso projeto gostaram muito, foi ótimo ter esse apoio”.

 

Como surgiu a ideia

“Conversando sobre importância de lavar as mãos,  percebemos que não havia sabonete nos banheiros da escola”, explica Quênia. Para a professora Lucineide Ramos, a falta de recursos financeiros foi o principal fator para esta situação: “a nossa dificuldade era o dinheiro”. Ainda que a gestão educacional enfrente dificuldades orçamentárias, a garantia de materiais como o sabonete é essencial para a higiene dos estudantes. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a maioria das infecções podem ser prevenidas com o ato de lavar mãos.

Aproveitando a realização da feira de ciências da escola, as alunas propuseram adaptar uma receita de sabão já produzido pelo grupo de preservação ambiental do colégio. “Eu estava fora da sala de aula e elas disseram que queriam tentar fazer uma receita para sabonete”, lembra Lucineide.

IMG-20160623-WA0008

Sabonetes confeccionados pelas alunas.

Além de apontar o problema financeiro da escola, o projeto contribuiu para que outros alunos e membros da comunidade observassem a questão ambiental a ser enfrentada. “O maior desafio foi mostrar para todos a importância de reutilizar o óleo, pois não sabiam que algo tão poluidor poderia servir para higienização e renda”, conta Quênia. Além da importância da higienização, o tema ganha relevância, entre outras coisas, ao se considerar que um litro de óleo descartado de maneira incorreta é o suficiente para contaminar cerca de 20 mil litros de água.

Segundo a professora Lucineide, a melhoria da auto estima é a maior vantagem do projeto. “Agora os alunos estão utilizando algo produzido pelas alunas e na própria escola. Isso é um motivo de orgulho e felicidade”, declara. Além de planejarem repetir a iniciativa no segundo semestre deste ano, as estudantes pretendem aprimorar a ideia, deixando o sabonete mais aromático e consistente para melhor uso dos colegas da escola.

*PH: O Potencial Hidrogeniônico (PH) é um índice que indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade e deve ser analisado na produção de sabonetes, indicando se é adequado ou não para o contato com a pele humana.

 

mode

Alunas apresentando o projeto na Feira de Ciências da escola

Confira abaixo a receitinha do sabonete feito pelas alunas:

Fórmula-de-sabonete-a-partir-de-oleo

 

 

 

Redação: Vanessa Ribeiro

Edição: Gabriel Maia Salgado

Ultima atualização: 05 de julho às 11h40 de 2016

15 Comentários
  1. Que legal… excelente iniciativa e uma boa colaboração para a preservação do meio em que vivemos!
    O fato lamentável é a falta de investimento na educação básica por parte do estado, mais em meio a essa negligência temos mentes que funcionam brilhantemente.

    Parabéns as alunas pela dedicação e a visionária professora pelo aproveitamento e incentivos a estas mentes brilhantes!!!

  2. Gente vocês podem compartilhar a receita? Achei incrível e quero fazer na minha escola.

    • Oi Celma,

      Disponibilizamos a receita junto com a notícia!

      Um grande abraço!

      Equipe Criativos da Escola

  3. Lindo trabalho aqui na minha cidade eu faço sabão reciclou óleo quero muito faser algo assim ajuda as escolas mas eles tem medo da soda cáustica acham que ela fas mal .vcs tem algum projeto para me poder apresentar .

  4. como posso corrigir o ph se estiver alto?

  5. Gostaria de ter o numero da menina de oculos.

    • Oi, Matheus. Tudo bem?
      Não somos autorizados a passar o contato pessoal de participantes do Desafio Criativos da Escola.

      Abraços!
      Equipe Criativos da Escola

  6. Bom dia! Este sabonete é para lavar louças? Ou para banho .

  7. oi, achei maravilhosa a iniciativa. gostaria de saber sobre o hidratante. Que tipo de hidratante tem que ser?

  8. Hidratante , pode ser qualquer um de corpo? Ou teria algum específico?

  9. Meninas gostaria de saber mais sobre essa ideia de vcs.. Como posso entrar em contato? Sou estudante de pedagogia.

    • Olá, Jaqueline!
      Como vai?

      Agradecemos o seu comentário e interesse :)
      Você poderia mandar um e-mail para contato@criativosdaescola.com.br contando sobre o que gostaria de conhecer melhor do projeto, por favor?

      Abraços,
      Equipe Criativos da Escola

Deixe uma resposta