Alimentos Alternativos

Alimentos Alternativos

Estudantes de Dois Riachos (AL) reaproveitam alimentos que normalmente são jogados fora e criam receitas nutritivas.

Um grupo de alunos da Escola Estadual Cônego José Bulhões, em Dois Riachos (AL), encontrou soluções criativas para evitar o desperdício de alimentos comumente descartados em sua comunidade. Como resultado do projeto desenvolvido pelos estudantes, foram criadas receitas de alto valor nutricional a partir de cascas, sementes e caules de frutas, legumes e verduras.

Realizada em 2016 por 31 estudantes do 3º ano do ensino médio, a iniciativa começou a tomar forma em uma aula de química, quando os alunos e alunas foram orientados a elaborar atividades que pudessem resolver problemas da comunidade de Dois Riachos. Os estudantes, então, escolheram trabalhar grupo-de-estudantes-sorrindo-para-a-fotocom a questão do desperdício de alimentos e, para amenizar esse problema, criaram novos pratos com os chamados “resquícios alimentícios”.

Posteriormente, as criações foram publicadas em uma cartilha para facilitar o acesso das receitas à população. “Eu senti a importância de apresentar um projeto à população [de maneira] que não ficasse restrito somente à escola”, relembra o aluno José Francisco da Paz. O documento fica hoje disponível na biblioteca da escola, local de fácil acesso a toda a comunidade.

 

Experiências e degustações
O professor orientador do projeto, André Pereira, explica como as receitas foram levadas ao público: “tivemos uma feira de ciências do estado e realizamos uma análise sensorial com as pessoas que vieram prestigiar a feira”. Apesar do receio de algumas pessoas ao experimentar os pratos, segundo o aluno José Francisco, a reação atendeu às expectativas do grupo. “Eles achavam interessante e perguntavam como as receitas haviam sido feitas. Algumas pessoas ficavam receosas, mas acabavam provando e achavam o sabor diferente”, relata.

 

estudantes-no-laboratório-de-químicaEmbasamento científico
Durante sua elaboração, as receitas desenvolvidas pelos estudantes a partir dos resquícios alimentícios foram oferecidas a funcionários da escola. Para que essa etapa fosse realizada, o grupo buscou respaldo científico em artigos acadêmicos e pôde averiguar os benefícios nutricionais dos pratos. Descobriram, por exemplo, que a farinha feita com casca de maracujá possui capacidade hipoglicêmica e que o chá de casca de laranja protege a pele de raios ultravioleta.

Além do projeto propiciar novas opções para uma maior diversidade na cozinha, André destaca também o aprendizado que os alunos puderam oferecer no que se refere a métodos de reaproveitamento de alimentos. “[Ao vermos a relevância do projeto], o entusiasmo foi grande e nos empenhamos ainda mais”, comenta o aluno José Francisco.

 

Redação: Luiza Cruz
Edição: Gabriel Maia Salgado
Imagens: Divulgação

 

Você conhece um projeto protagonizado por crianças e jovens que está transformando a escola e a comunidade?
As inscrições para o Desafio Criativos da Escola 2017 já acabaram. No entanto, clique aqui e acompanhe as novidades do programa também em nossa página no Facebook.

Deixe uma resposta